OUSHGAL

by

in

Oushgal.

Os Celeiros Pendurados.

O conceito de Oushgal como um lugar concebido como forte de defesa ou de reserva estratégica de alimentos, tem gerado falta de consensos. Não existe na verdade com conceito preciso, mas quem os visita, fica com a convicção que seriam um lugar seguro para a guarda de alimentos nos tempos das guerras tribais.

A informação mais fiável, segundo Roger Mimó, no seu Livro, “Guia de Trekking y Excursiones en Marruecos, (edição Edizioak – 1993),  que estudou de perto estes celeiros, estes foram concebidos como um lugar seguros para esconder as suas reservas de trigo e milho dos invasores, nomeadamente os Ait Abdi. Estas reservas de comida eram essenciais para a sobrevivência dos povos, já que esta zona do Alto Atlas ainda hoje são muito ricas com a sua agricultura fértil.

Por norma o acesso a estes Celeiros era feita por veredas ou caminhos muito estreitos, de modo a passar unicamente uma pessoa de cada vez, permitindo a sua defesa facilmente.

Hoje em dia os Oushgal estão em decadência e em ruínas, sendo possível visitar alguns em razoável estado de conservação a norte de Imilchil a partir de Cherket e em Assif Melloul perto de Anergui.

Se gosta de Trekking e não tem vertingens, aconselho uma visita de preferência com um Guia, já que existem vários na zona. Estes Guias têm formação específica, ministrada pela Escola de Montanhismo sediada em Imelghas, no Vale de Bou Goumez.

Na III Expedição a Marrocos, passamos perto dos dois dos mais famosos Oushgal, mas o tempo não nos permitiu uma visita, quem sabe em breve, com uma Expedição só ao Alto Atlas.

J. Gandini no seu tomo I, tem uma fotografia esclarecedora da largura do caminho e do desnível do precipício.

Algumas fotos.