Siga-nos no facebook

Na preparação da Expedição que vou fazer no 3.º trimestre deste ano, a pesquisa de locais que pretendo visitar ou “descobrir”, levam a procurar novos pontos de interesse e este é um deles, pelo que o partilho aqui.
O Guide Pistes du Maroc, Tomo IV, L’Oriental, tem na zona que J. Gandini, designou como L’Oued Guir et son afluente L’ Oued Haïber, um conjunto de percursos mais tranquilos e e excelentes, nomeadamente na zona de L’Aute-Guir.
O simbolismo histórico dos percursos, levam-nos a locais como o Ksar Tazzouguert, ao Coll de Belkassem, ao Memorial de René Estienne, ao Bordj Ksar Moghel, ao Bordj Ksar Atchana e a outros locais de interesse.
Porventura, foi nesta zona Oriental, que se travaram as batalhas mais sangrentas entre os locais e os Franceses, logo no início do século passado.
Os percursos designados pela letra “K”, o K1, K2, K3, K4 e K5, transportam-nos para toda essa realidade e funcionam como uma “Boucle”, o que permite descobrir novas rotas do que se designa por “Emblemático”.
Do simbolismo dos vários percursos, escolhi o “K4”, porque para além de cruzar o Col Sidi Belkassem, passa ao pé do Memorial de René Estienne. O percurso “K4”, que une Beni Tajdjit a Tazzouguert, tem cerca de 42 kms carregados de simbolismo.
René Estienne, um “Aventureiro”, seja um Explorador Francês, que nasceu a 18 de Janeiro de 1900 e faleceu no dia 18 de Maio de 1927, numa emboscada, no Col de Sidi Belkassem.
René Estienne, permitiu com os seus estudos, criar a mais longa “estrada automóvel” do mundo, entre o Mediterrâneo ao Níger, ao Tchad e ao Congo Francês.
De 17 de Dezembro de 1922 a 7 de Janeiro de 1923, faz parte da equipa que faz a dupla travessia do Shara. No seio da equipa da Citrën, com Georges-Marie Haardt e Louis Audoin-Debreuil.
De seguida faz a viagem de Figuig a Tanezrouf na Argélia, balizando a pista que mais tarde serviu para a Companhia Générale Transsaharienne. Mais tarde em 1927, realiza o reconhecimento do percurso Béchar-Reggan-Gao.
Mas, em 18 de Maio de 1927, um comboio de três camiões, comandados por René Estienne, tenta ligar Beni Tadjit a Bou Denib. Na zona do Col de Sidi Belkassem, cerca das 14:30 horas, um bando de bandidos, ataca o comboio de camiões e René Estienne é morto com dois tiros na cabeça, ao volante do camião.
Nesse local, foi edificado um Memorial, que tem as coordenadas N 23º 10,16’ W 03º 39,13’.
Fica mais esta nota.
2016-05-17_135730

2016-05-17_140232

Segundo o relato do Capitão Bertrand, Comandante do Agrupamento de Forthassa, no seu reconhecimento de 20 a 30 de Outubro de 1910 no território dos Beni Guild e dos Oulad en Naceur, que a seguir transcrevemos:

“ As fortes chuvadas do dia 21 de Outubro, ainda não influenciaram o caudal da nascente d’Aïn el Ourak, que brota, ao pé do maciço rochoso. O caudal é ainda normal, talvez até inferior ao que  nós observamos anteriormente. Pensamos que nas próximas 48 horas o caudal possa ser superior. Esta nascente é importante para saciar a sede aos animais. A nascente foi melhorada na última Primavera, pelo pessoal da Companhia de Cavalaria e ainda se encontra intacta. Foi construído um reservatório “tanque”, que cria as reservas indispensáveis para que os animais possam beber. As obras na nascente foram uma salvaguarda, para que os animais não danificassem a sua estrutura”.

Em 2012, na nossa Expedição ao Chott Tigri e na sequência dos inúmeros “Bordj’s” ou Fortes que visitamos e foram muitos, este para nós, não só pela sua envolvente, como pela acção solidária que sem contarmos tivemos que fazer, ficou marcado como um ponto importante para um regresso e se possível com um Bivouac.

O local é imenso e tem o forte estrategicamente, bem construído. Tem três dos seus lados, protegidos por altas montanhas escarpadas e um dos lados livre e aberto, onde era possível controlar qualquer ataque.

Era uma enorme fortificação, que se realça pela sua localização e por duas ou três construções, com cobertura cónica cujas paredes com uma expessura anormal, quase de 80 cm, cria uma temperatura muito baixa, ao que nós designamos por frigoríficos.

Seguindo o percurso G2b do tomo IV Pistes du Maroc, L’Oriental, que tem início junto ao Bordj Bel Rhiada, é possível chegar através de um desvio ao Bordj Ourak ou Fort Ouarak, cujas coordenadas são N 32º 35,58’ W 02º 32,24’.

Em Setembro ou Outubro de 2016, vamos fazer um bivouac  junto à nascente, para cumprir o desejo que não foi possível cumprir em 2012.

Bordj Ourak CIMG1662 CIMG1659 CIMG1658 CIMG1657 CIMG1656 CIMG1654 CIMG1653 CIMG1651 CIMG1650 CIMG1648 CIMG1647 CIMG1646 CIMG1644 CIMG1642 CIMG1640

 

 

Olá.
Com certeza que já constataram que o vosso GPS, nomeadamente os Montana, Oregon e alguns Nuvi, quando funcionam com os mapas Garmin NTU (Unicode), têm problemas para pesquisar qualquer dado, como por exemplo cidades, pontos de interesse, quando usando a função “Para Onde”.
Os mapas são exactamente os mesmos, sendo que a diferença é que a versão NTU, utiliza Unicode para codificar os nomes, porque muitos idiomas europeus, exigem que os utilizadores possam ver/pesquisar na sua língua nativa. A versão Unicode NTU pode suportar e exibir sem problemas outros alfabetos como o cirílico ou o grego,  sinais diacríticos  de outras línguas  (como a polaca, letã, etc).
Isto para concluir que os mapas funcionam, mas podem não funcionar com o modo de pesquisa a 100%, mais em algumas zonas ignora alguns arruamentos ou estradas e não indica uma rota adequada entrando mesmo em contradição racional.
As actualizações para NTU são trimestrais e NT são semestrais.
Esta pequena nota pode dar uma ajuda, sem pretender ser um artigo mais complexo.
Inté.

Faz hoje, dia 27 de Abril, oito anos……..
É sempre muito difícil escrever estas linhas e todos os anos não consigo encontrar as palavras apropriadas para de um modo singelo, lembrar a falta que nos fazes a todos. Eu, pelo menos sei, que estás sempre presente, sempre tiveste, mesmo nas alturas mais difíceis em que consegues dar ânimo e resolver todas as situações. Penso eu, que não há acasos, pois um sopro no ouvido, uma paragem forçada, uma pseudo avaria, é sempre um aviso, um alerta. Não me perguntem como ou porquê, mas isso prova que vais olhando por nós.

Oito anos, é muito tempo, e como foi difícil e ainda o é, perder uma amigo, tão cedo, mas vamos todos os dias caminhando e como quase sempre, hoje lá estarei mais uma vez na Ortiga, para termos mais uma conversa de “pé de ouvido”, uma conversa que só nós entendemos e que só nós ouvimos.
Amigo Vasco Lima, um abraço do tamanho da tua amizade…..e “Vê lá se queres e não te lembras”.
Inté.

Arvore Vasco Lima DSC03342 VascoLima_xanoc vasquinho1 xanockp2Xanoc, ve la se queres

 

 

 

 

 

 

Powered by Wikiloc

Olá.

Um bom fim-de-semana prolongado para todos os sócios e amigos da Land Lousã.
Fica aqui uma sugestão fácil para este longo fim-de-semana.

Powered by Wikiloc

Inté.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: